Início Instituição Equipa Consultas Localização Minha Cirurgia Reuniões Científicas Media Links FAQS
 Início Áreas Cirúrgicas Cirurgia linfática

 

Cirurgia linfática

 

A etiopatogenia, o diagnóstico e o tratamento da patologia linfática por linfedemas do membro superior e inferior são prática quase desconhecida do mundo médico. É uma área de extraordinária importância que o ensino universitário e a investigação têm esquecido.

O sistema linfático desempenha um papel importantíssimo em vários domínios, nomeadamente no desenvolvimento e disseminação de tumores e regeneração de tecidos.

Um dos temas de investigação profunda do Prof. Doutor Abel Nascimento, que serviu de base ao Doutoramento Europeu e prémio da Universidade René Descartes, Paris (França), foi o estudo da regeneração de tecidos com relevância particular dos vasos linfáticos. Esta investigação, que decorreu durante vários anos quer a nível experimental animal (amputação/reimplantação de membros posteriores em 131 animais) quer do cadáver, permitiu objectivar as relações anatómicas linfáticas e venosas, a importância no edema linfovenoso dos membros, a regeneração dos capilares linfáticos e reorganização dos "lagos linfáticos", etc..

   
Investigação anatómica – visualização dos linfáticos superficiais do dorso da mão e punho (com pasta da “Mme Hidden”)   Investigação anatómica – visualização dos linfáticos da face dorsal do antebraço   Investigação anatómica – visualização dos linfáticos superficiais do braço

Investigação experimental – moldes de resina sintética dos sistemas arterial(verde), venoso (azul) e linfático (vermelho), 12 dias após reimplantação do membro posterior

 
Investigação experimental – linfografia 3 dias após reimplantação do membro posterior com gelatina/sulfato de bário   Investigação experimental – molde de resina sintética de anastomose funcional linfovenosa, 12 dias após reimplantação do membro posterior (azul = veia, vermelho = linfático)

 
Investigação experimental – corte histológico de válvula linfática, 18 dias post-reimplantação (H.E.; 400X)   Investigação experimental – corte histológico de vaso linfático (5´-NASE positivo) e de artéria (5’-NASE negativo), 18 dias post-reimplantação (400X)

           
Investigação experimental – arteriografia 10 dias post-reimplantação   Investigação experimental – venografia 10 dias post-reimplantação   Investigação experimental – linfografia 20 dias post-reimplantação

 

O edema linfático do membro superior e inferior tem várias etiopatogenias. Nas malformações congénitas linfáticas e bridas amnióticas em sectores dos membros, existe a possibilidade de efectuar anastomoses linfovenosas microcirúrgicas e reconstrução plástica redutora. Nos adultos é mais frequente a patologia dos linfedemas post-mastectomia tumoral na mulher, sendo possível actuar de uma forma eficaz com anastomoses linfovenosas microcirúrgicas, transplantes livres vascularizados de retalhos adipolinfonodulares de um quadrante inguinal para a região axilar ou com redução plástica do volume do membro superior afectado (são efectuadas várias técnicas, incluindo algumas pessoais).

 

    
Anastomoses microcirúrgicas linfovenosas e redução plástica em brida amniótica na raiz do membro superior   Microcirurgia linfática

 

Existem outras patologias linfáticas das quais o Prof. Douor Abel Nascimento tem bastante experiência, dada a sua colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian e o Governo Português na cooperação com a República da Guiné-Bissau (linfedemas por filária).

Elefantíase do membro inferior (grau V) em filariose

 

O Director do ICR integra o Projecto europeu Leonardo da Vinci para a formação no conhecimento do sistema linfático e tratamento das suas patologias nos países europeus.